Solo: “Entre duas linhas vive o branco” – 2010

Inspirado livremente em poemas de Sophia de Mello Breyner Andresen e na obra da artista Lhasa de Sela, Entre duas linhas vive o branco tem como tema central a analogia entre corpo e morada. Uma das principais referências desse trabalho é “A Poética do Espaço” de Gaston Bachelard e explora imagens que fazem parte de um referencial simbólico autobiográfico, como revoadas, desenhos feitos pela criadora-intérprete projetados ao longo das cenas, rrecortes de luz que criam uma atmosfera onde brechas se abrem e revelam movimentos, gestos e uma subjetividade partilhada.

Em cena, poemas de Rudinei Borges trilham caminhos – escritos em tempo real no espaço cênico e o jogo entre dança, imagem, luz, palavra e música instauram uma atmosfera mais intimista.

Concepção, criação e interpretação: Luciana Bortoletto

Direção da versão 2010: Vanessa Guillén

Poemas de Rudinei Borges

Música original ao vivo de Dani Piva

Operação de Luz: Mariana Porto

Produção Executiva: Calu Baroncelli

Fotos: Gil Grossi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s